Quando se tem a visão de que a vida é difícil, de que as coisas boas só acontecem com muito esforço, costuma-se dizer “não desistas!”, “não largues o osso!”, “luta até ao fim!”. Quantas vezes não lhe apeteceu já deitar a toalha ao chão, desistir de tudo e recomeçar? E, nesses momentos, houve uma força interior que lhe disse para não desistir, para continuar a insistir e acabou por atingir os objectivos?

Este é o espírito da resiliência, a coragem de ir à luta mesmo quando tudo e todos parecem estar contra nós. É quando sentimos, bem no nosso interior, que o caminho é por ali.

Mas… atenção! Há alturas em que insistimos, batemos com a cabeça, continuamos a insistir, o tempo passa e as oportunidades não aparecem. As portas não se abrem e nós sentimos o amargo da frustação. “Eu não sirvo para isto”, “não faço nada de jeito”, “e agora… o que vou fazer?” É nessas alturas que devemos parar para perceber se não estaremos a tentar forçar uma saída que não é a nossa.

Nada tem de mal. Tentámos, demos o tudo por tudo, mas não era por ali. E se não era por ali, não precisamos de perder mais tempo e, talvez, dinheiro, a insistir. Ainda bem que conseguimos chegar a essa conclusão o quanto antes.

Se está perante uma situação que se arrasta e parece não ter solução, apesar de muito ter tentado, páre para se perguntar e sentir: devo continuar por aqui ou estará a vida a dizer-me que devo seguir por outro caminho?

Não ligue ao que está na moda, ao que supostamente dá dinheiro ou ao que as pessoas esperam e vão pensar de si. Há um imenso potencial aí dentro à espera de ser posto no mundo. Que esse seja o seu guia e o seu mentor nos próximos passos.

Leave a comment