De certa forma, as questões de género estão na moda e hoje já se fala mais de igualdade de género do que há uns anos. No entanto, os números de violência doméstica e as formas de pensar que vemos à nossa volta (e que muitas de nós ainda temos) mostram-nos o quanto estamos aquém em matéria de género e de igualdade.

Deixando a questão sociológica para outro post, a parte espiritual e energética diz-nos que o mundo e o caos que vivemos resultam de uma excessiva energia masculina, de um pensamento de acção, de conquista, de agressividade. Todos temos em nós energia masculina e energia feminina. E o convite, neste momento específico de evolução planetária, é activarmos e expressarmos a energia feminina.

Por isso ouvimos tanto dizer que as mulheres têm um papel preponderante nesta mudança, que tanto homens como mulheres se devem conectar mais com a sua energia feminina, que devemos agir mais direccionados pelo sentir, etc, etc.

Ao contrário do que pensamos, o poder pessoal feminino não está na acção exterior e não será nela que nós, mulheres, encontramos o nosso propósito e realização. Ou seja, não é de fora que devemos esperar a confirmação do nosso valor, do nosso poder feminino. E tem sido assim que, nas últimas décadas, o temos feito, usando e abusando da energia masculina em prejuízo da feminina. Isto não significa que não consigamos ou não devamos concretizar e expressar esse poder no mundo, a nível material. Significa “apenas” (parece fácil, mas às vezes é tão difícil) começarmos por usar a energia feminina, a intuição, o sentir como impulsionador das nossas decisões e acções e do que queremos pôr no mundo.

Proponho-lhe uma meditação:

Sente-se numa posição confortável, ponha uma música calma e, com a respiração lenta, permita-se ir relaxando profundamente. Desligue-se das preocupações exteriores e imagine, por momentos, que pode ter a vida que quiser. Como é ter essa vida? O que faria na vida? Como ganharia dinheiro para pagar contas? O que se sentiria mesmo bem a fazer? Ligue-se à sua energia feminina e deixe-a guiá-la por momentos. Além de imaginar, sinta profundamente no seu corpo que essa é a sua realidade. Quando sentir que fez o exercício, volte desse tranquilamente desse estado de relaxamento. Como se sente agora?

Leave a comment